Portuguese English French German Italian Spanish
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária

SAÚDE: Distrito de Portalegre tem falta de 150 enfermeiros

O Sindicato dos Enfermeiros Portugueses (SEP) defendeu na passada terça-feira, dia 14 de Fevereiro a "necessidade urgente" de contratação de enfermeiros para a Unidade Local de Saúde do Norte Alentejano (ULSNA), alertando que faltam "cerca de 150" profissionais desta área.

"Faltam nos hospitais de Portalegre e de Elvas e nos centros de saúde do distrito de Portalegre cerca de 150 enfermeiros", disse Celso Silva, da direcção nacional do SEP, num encontro com jornalistas à porta da unidade hospitalar da cidade raiana de Elvas.

Justificando o número 150 enfermeiros em falta com a "aplicação das formas de cálculo da Ordem dos Enfermeiros para as dotações seguras", o sindicalista indicou que o SEP já alertou a administração da ULSNA para situações de "quase rotura" em diversas valências, como a ortopedia em Elvas ou os serviços paliativos no hospital de Portalegre.

"Isto já para não falar das questões que veem, por vezes, para a praça pública relacionadas com os serviços de urgências", acrescentou.

Apesar dos "alertas" já feitos junto do conselho de administração, segundo Celso Silva, a ULSNA "nada tem feito" para inverter a situação. "O exemplo mais paradigmático é o último concurso para a admissão de enfermeiros, que foi aberto no início de Novembro, e, chegados à data de hoje, passaram três meses e meio, e esse concurso, para 25 vagas, ainda não está concluído", disse.

O SEP lamentou, ainda, que o norte alentejano esteja "um pouco esquecido" pelo Estado, em particular no que diz respeito ao sector da saúde, o que justifica a "necessidade" de se dar um "alerta público" para a situação.

De recordar que a ULSNA gere os hospitais de Portalegre e Elvas e os 16 centros de saúde existentes nos 15 concelhos que compõem o distrito de Portalegre.

PORTALEGRE: PSP e Município realizam acções de sensibilização

A Polícia de Segurança Pública e a Câmara Municipal de Portalegre estão a realizar várias acções de sensibilização junto da população portalegrense, com o intuito de promover e fomentar a limpeza de terrenos e acima de tudo transmitir uma mensagem de dever cívico na prevenção e minimização do risco de incêndio.

Segundo o Comando Distrital de Portalegre da PSP, "a gestão de combustíveis que consiste na limpeza dos terrenos, através do corte e remoção da biomassa vegetal neles existente é obrigatório até ao dia 15 de marco de 2018.

O incumprimento desta obrigação é punível com coima, de 140€ a 5.000€, no caso de pessoa singular e, de 800€ a 60.000€ no caso de pessoas colectivas, previsto na Lei n.º 76/2017".

REGUENGOS: Música e gastronomia no primeiro Festival Ibérico do Javali

O Município de Reguengos de Monsaraz e a União das Freguesias de Campo e Campinho vão organizar entre 23 a 25 de Fevereiro o primeiro Festival Ibérico do Javali. O evento decorre em S. Marcos do Campo, localidade do concelho de Reguengos de Monsaraz rica em recursos cinegéticos, terá stands com artigos de caça e restaurante com gastronomia confeccionada com base nos pratos de caça.

O Festival Ibérico do Javali inicia-se no dia 23 de Fevereiro, às 14.30 horas, com o colóquio "O javali e os seus impactos no ecossistema e na gastronomia", que vai decorrer na Casa Paroquial de S. Marcos do Campo. Na abertura vão estar José Calixto, Presidente da Câmara Municipal de Reguengos de Monsaraz, e Gabriela Furão, Presidente da União das Freguesias de Campo e Campinho.

O colóquio vai ser moderado por Jorge Nunes, Vereador da Câmara Municipal de Reguengos de Monsaraz, e terá intervenções de Jacinto Amaro, Presidente da Federação Portuguesa de Caça (Fencaça), João Cordovil e Fernando Rosa Dias, da Herdade da Contenda, Mário do Carmo, investigador da Universidade de Lisboa, Pedro Vitorino, director da Revista Caça e Cães de Caça, e Mónica Cunha e Margarida Duarte, do Instituto Nacional de Investigação Agrária e Veterinária.

A cerimónia oficial de abertura realiza-se às 19.00 horas e terá a actuação do Grupo Coral Os Amigos do Cante Alentejano de S. Marcos do Campo – Falcões. Segue-se às 21.00 horas um espectáculo com a fadista Teresa Tapadas.

No sábado, dia 24 de Fevereiro, o programa do festival inicia-se às 9.00 horas com uma montaria ao javali. Pelas 14.00 horas actuam o Grupo Coral Os Bel’Aurora de Campinho e os grupos de música tradicional alentejana EnCanta Modas e Al-Canti.

Às 17.30 horas, o chef Carlos Galhardas, director criativo na empresa Miguel Laffan, do chef do restaurante L’And Vineyards premiado novamente no ano passado com uma estrela Michelin, vai fazer um showcooking intitulado "Paladares do Montado". Segue-se uma noite transfronteiriça com as actuações do grupo instrumental Os Lírios do Campo, pelas 19.00 horas, e do grupo espanhol Voces Al Alba, às 21.30 horas.

No domingo, último dia do Festival Ibérico do Javali, às 11.30 horas vai cantar o Grupo Coral Gente Nova de Campinho e pelas 14.30 horas sobe ao palco o grupo de música tradicional Brisas do Alentejo.
Faixa publicitária

AUTENTICAÇÃO


ELVAS.com.pt O Portal da Cidade
´