Portuguese English French German Italian Spanish
Faixa publicitária

GNR detém 3 pessoas por permanência ilegal em território nacional


 
A Guarda Nacional Republicana (GNR) deteve em Elvas, três homens com idades compreendidas entre os 23 e os 32 anos, por permanência ilegal em território nacional.

Segundo fonte do Comando Territorial de Portalegre da GNR, a detenção ocorreu no decurso de uma acção de fiscalização junto à fronteira de Caia/Elvas, no sentido Espanha-Portugal, onde os militares da Guarda abordaram uma viatura onde seguiam seis ocupantes de nacionalidade estrangeira. No decorrer das diligências policiais, em colaboração com o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) e em articulação com o Centro de Cooperação Policial e Aduaneiro de Caya-Elvas, foi possível apurar-se que três dos indivíduos se encontravam em situação ilegal no país, culminando na sua detenção.

Os detidos foram presentes a primeiro interrogatório no Tribunal Judicial de Elvas, tendo sido determinado o seu acompanhamento para um centro de instalação temporário.

Portugueses consideram que 2022 será um ano melhor


 
De acordo com o estudo Observador Cetelem Natal 2021, os portugueses tendem a considerar que o novo ano será um ano “melhor”, com um resultado médio de 3,5 numa escala de 1 (“muito pior”) a 5 (“muito melhor”). Na distribuição por cada resposta, 45% dos portugueses inquiridos perspectivam que o novo ano será um ano “melhor”, sendo que, destes, 8% acreditam que será “muito melhor”; já 51% considera que será igual e apenas 3% que será pior ou muito pior.

Segundo os dados, os mais optimistas relativamente ao novo ano são os mais jovens, assim como os cidadãos com melhores rendimentos (68%). Os inquiridos dos 54 aos 64 anos são os que olham para o futuro de forma menos positiva, com apenas 29% a esperarem um ano melhor. Nas Áreas Metropolitanas observa-se uma grande diferença, com mais inquiridos na Área Metropolitana do Porto optimistas face ao novo ano do que na Área Metropolitana de Lisboa (57% e 20%, respectivamente).

78% dos inquiridos já têm alguns planos para aproveitar o novo ano: 45% querem passar mais tempo com a família, tendência mais acentuada entre o género feminino (47%) e os inquiridos com idades compreendidas entre os 25 e os 34 anos (51%); 27% mencionam que querem retomar actividades que deixaram de fazer com a pandemia; 22% querem fazer mais viagens e 18% ir a mais concertos ou festivais, sobretudo, os mais jovens (35% e 38% respectivamente).

A Passagem de Ano

No que respeita à Passagem de Ano, apesar de aumentar a intenção de celebrar fora, a verdade é que ainda são muitos os que vão optar por ficar em casa (62%), nomeadamente, os inquiridos a partir dos 55 anos (83%). Os jovens, entre os 18 e os 34 anos são os que optam mais por passar a festividade em casa de amigos ou outros familiares (33%).

Quando questionados sobre com quem vão passar a data, 79% dos inquiridos revelam que vão festejar apenas com o agregado familiar – menos 9 p.p. face a 2020. 18% afirmam que vão passar com familiares, além do agregado familiar, e 18% com amigos – uma subida de 11 p.p. em comparação com o ano anterior – nomeadamente, os inquiridos mais jovens dos 18 aos 24 anos (50%).

Relativamente aos gastos, na Passagem de Ano os portugueses tencionam gastar em média 107 euros, mais 22 euros que em 2020. Fazendo uma análise mais detalhada, observa-se que 25% tencionam gastar entre 51 e 100 euros; 16% procuram gastar entre 101 e 150 euros; e 11% dizem que vão gastar até 50 euros. As faixas etárias que tencionam gastar mais na Passagem de Ano são os inquiridos dos 35 e os 44 anos (122€) e os inquiridos dos 25 aos 34 anos (120 euros). Já os que tencionam gastar menos são os entre os 65 e os 74 anos (83 euros) e os mais jovens, dos 18 aos 24 anos (84 euros).

Operação “Natal e Ano Novo 2021” da GNR decorre até 2 de Janeiro


 
A Guarda Nacional Republicana (GNR) realiza até ao próximo domingo, dia 2 de Janeiro, uma acção de fiscalização denominada "Operação Natal e Ano Novo 2021", com o objectivo de combater a criminalidade e intensificar o patrulhamento rodoviário nas vias de maior tráfego durante este período, através do esforço de patrulhamento, de forma a garantir as festividades e as deslocações em segurança, contribuindo ainda para o cumprimento das medidas necessárias à contenção da Covid-19, em todo o território nacional.

Entre os dias 23 e 26 de Dezembro, decorreu a segunda fase da operação, referente ao período do Natal. Nesta fase houve ainda um maior empenhamento da GNR em acções coordenadas de patrulhamento, fiscalização e sensibilização, tendo sido registados 72 crimes e 3 436 contra-ordenações. Relativamente à sinistralidade rodoviária, a GNR registou 752 acidentes, dos quais há a registar quatro vítimas mortais, 19 feridos graves e 248 feridos leves.

No período entre o dia 30 de Dezembro e 2 de Janeiro, irá decorrer a terceira fase da operação Natal e Ano Novo, pelo que a Guarda irá manter-se particularmente atenta aos comportamentos de risco dos condutores, nomeadamente  o excesso de velocidade, as manobras perigosas, a correta sinalização e execução de manobras de ultrapassagem, de mudança de direcção e de cedência de passagem, a utilização indevida do telemóvel, à circulação correta na via mais à direita em autoestradas e itinerários principais e complementares, bem como à incorrecta ou à não utilização do cinto de segurança e/ou dos sistemas de retenção para crianças.
Faixa publicitária
Faixa publicitária

ELVAS.com.pt O Portal da Cidade
´