Portuguese English French German Italian Spanish
Faixa publicitária
Faixa publicitária

ELVAS.com.pt

ELVAS: Câmara com orçamento para 2020 superior em cerca de 50%

O orçamento da Câmara Municipal de Elvas para 2020 ronda os 28,7 milhões de euros, superior em cerca de 50% em relação ao deste ano, disse o presidente do município, Nuno Mocinha.

De acordo com o autarca socialista, que está a cumprir o segundo mandato consecutivo, "o orçamento tem um acréscimo de cerca de 50%", devido ao número de obras, "estando umas no início e outras a ser concluídas". "Em termos de obras, temos, em concreto, um valor superior a 11 milhões de euros", indicou.

O orçamento, que Nuno Mocinha considerou "exigente", foi aprovado em reunião de câmara com os votos favoráveis dos cinco eleitos da maioria PS e duas abstenções dos vereadores do movimento independente "Elvas nosso partido".

Do conjunto de obras, o autarca do município raiano destacou a construção da nova Escola Básica n.º 2 de Santa Luzia, num investimento de 7,7 milhões de euros.

Os trabalhos de construção do novo estabelecimento de ensino, que vai servir uma comunidade escolar com um máximo de 625 alunos, já começaram, mas o "grosso da obra" é executado em 2020.

"Temos também as obras do Museu de Arqueologia e Etnografia António Tomás Pires na sua parte final, mas ainda falta executar cerca de 1,5 milhões de euros", adiantou. O museu, situado na antiga manutenção militar de Elvas, representa um investimento global de quatro milhões de euros.

Outro dos investimentos destacados pelo autarca é o início das obras no Aqueduto da Amoreira, classificado como Património Mundial pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), num investimento de cerca de 2,5 milhões de euros.

"Temos também as obras dos laboratórios colaborativos a arrancar, num investimento superior a dois milhões de euros, e requalificações no centro histórico que provocam um nível de investimento alto", referiu

Nuno Mocinha apontou ainda o processo relativo à descentralização de competências, que "também influência este orçamento", sublinhando que, só a nível de Educação, "estão envolvidos mais de dois milhões de euros".

Em matéria de impostos, a Câmara Municipal de Elvas decidiu manter a taxa do Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI) para prédios urbanos em 0,45% e receber 5% da taxa de participação no Imposto sobre o Rendimento das Pessoas Singulares (IRS) dos munícipes com domicílio fiscal no concelho.

MONFORTE: Jovem de 16 anos detido por falta de habilitação legal

O Comando Territorial de Portalegre da Guarda Nacional Republicana (GNR), através do Posto Territorial de Monforte, deteve um jovem com 16 anos, por condução de veículo automóvel sem habilitação legal, em Monforte.

Na sequência de uma série de denúncias por parte da população, a dar conta que naquela localidade, sistematicamente, se verificam indivíduos a circular sem habilitação legal e a adoptar manobras perigosas na sua condução, foram intensificadas acções de fiscalização rodoviária, tendo numa dessas acções sido interceptado um veículo conduzido por indivíduo sem habilitação legal, o que culminou de imediato na sua detenção.

O detido foi constituído arguido e os factos remetidos ao Tribunal Judicial de Portalegre.

ELVAS: Ibero Aves no Centro de Negócios Transfronteiriço

A quarta edição da Ibero Aves decorre até este domingo, dia 24 de Novembro, no Centro de Negócios Transfronteiriço, em Elvas.

A iniciativa conta com a presença de 473 aves a concurso e mais 70 em exposição, extra-concurso, e tem 46 expositores inscritos.

A organização está a cargo da Federação Ornitológica Portuguesa Cultural e Desportiva e da Associação Ornitológica de Elvas, e conta com os apoios do município de Elvas, Junta de Freguesia de Assunção, Ajuda, Salvador e Santo Ildefonso e da Junta de Freguesia de Caia, São Pedro e Alcáçova.

SOUSEL: Câmara aumenta orçamento em 2020 para 8,4 milhões

O orçamento da Câmara Municipal de Sousel para 2020 é de 8,4 milhões de euros, superior em cerca de um milhão de euros ao deste ano, disse o presidente do município Manuel Valério.
 
"Este aumento deve-se à gestão que se tem vindo a fazer e conseguimos passar para o próximo ano uma quantia significativa que nos vai permitir dar resposta às obras que estamos a preparar", disse o autarca, que está a cumprir o primeiro mandato, eleito pelo Partido Socialista (PS).

O orçamento para 2020 foi aprovado por maioria, em reunião do executivo municipal, com quatro votos a favor da maioria PS e uma abstenção por parte da vereadora eleita pelo PSD.

Em termos de obras, a Câmara de Sousel prevê iniciar no próximo ano a requalificação do mercado municipal e arranjos exteriores, além de construir um parque de estacionamento, num investimento de 500 mil euros.

A autarquia tenciona ainda requalificar estradas em Sousel e na freguesia de Cano, enquanto na freguesia rural de Casa Branca vai proceder a obras no Largo Amâncio Canelas e no jardim.

A autarquia prepara-se também para lançar o concurso para a construção de uma ecopista, que ligará o concelho de Fronteira ao concelho de Estremoz, numa extensão total de 22 quilómetros.

De acordo com o autarca, a obra está orçada em cerca de 430 mil euros, cabendo a Sousel, que fica situado entre os concelhos de Fronteira e Estremoz, a "maior fatia".
"A obra é comparticipada em 90% por fundos comunitários, ao município de Fronteira cabe pagar sete mil euros e a nós 37 mil euros", disse.

Em termos de impostos, a Câmara de Sousel, que não cobra Derrama, decidiu manter em 0,39% a taxa do Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI) para prédios urbanos e em 5% a taxa de participação do município no Imposto Sobre o Rendimento das Pessoas Singulares (IRS).

O orçamento vai ser votado no dia 27 deste mês em reunião de assembleia municipal, composta por 12 eleitos do PS, seis do PSD e um da CDU.

Reguengos de Monsaraz aderiu ao projecto isAlice

 
O Município de Reguengos de Monsaraz assinou um acordo de parceria com a DECSIS – Sistemas de Informação para a implementação do projecto isAlice (Ageing Longer: Intelligent Care Environment). A intervenção isAlice tem como objectivo o desenvolvimento no concelho de um novo modelo de cuidados de saúde domiciliados, com recurso à IoT (Internet das Coisas) e à inteligência artificial, obtendo-se um novo paradigma na prestação de cuidados para a população sénior através da activação dos meios mais eficientes de cuidados para cada caso. Desta forma pretende-se promover o bem-estar das populações dependentes através da domiciliação de cuidados continuados e integrados.

O isAlice visa implementar um modelo integrado de apoio à intervenção e processos de trabalho dos cuidadores, com elevada intensidade tecnológica e com geração de conhecimento no processamento automático de dados, complementando-se com uma estratégia de monitorização remota dos casos em que se justifique. Com este projecto pretende-se também colmatar a lacuna existente entre as pessoas dependentes e as estruturas de saúde e sociais, com recurso ao Plano Individual de Cuidados centrado no doente e no cuidador.

A preparação dos cuidadores será efectuada com abordagens que conjugam capacitação por cursos desenvolvidos em ambiente laboratorial com simulação de alta fidelidade, vídeos de demonstração acessíveis em todas as plataformas e estratégias de aptidão psicossocial através de entrevistas com os cuidadores. Para o desenvolvimento do projecto, o Município de Reguengos de Monsaraz vai promover o envolvimento de outras entidades do concelho.

O isAlice foi desenvolvido durante mais de uma década pela Escola Superior de Enfermagem S. João de Deus da Universidade de Évora e é financiado pelo programa Portugal 2020.
Faixa publicitária

ELVAS.com.pt O Portal da Cidade
´